Definição / Etiologia 2017-07-11T18:39:25+00:00

DEFINIÇÃO / ETIOLOGIA

DEFINIÇÃO

Infertilidade Primária: Incapacidade fisiológica de uma primeira gravidez.

Infertilidade Secundária: Incapacidade fisiológica de uma segunda ou mais gravidezes.

ETIOLOGIA

São vários os factores que podem condicionar a Fertilidade do casal.
Calcula-se que entre 15% a 20% dos casais sofrem de infertilidade, em Portugal, sendo que 40% em mulheres; 40% em Homens e os restantes 20% são de situações onde a causa é mista ou desconhecida.

Dentro das causas de Infertilidade Feminina sabe-se que 80% dos casos estão relacionados:

Idade avançada: A partir dos 35 anos o potencial reprodutivo diminui. Depois dos 40 anos a possibilidade mensal em engravidar é inferior a 10%.

Janela de Oportunidade: Apesar de Portugal apresentar uma das mais elevadas taxas de sucesso (30%) em Reprodução Medicamente Assistida (P.M.A.) devemos ter em consideração alguns pontos face à idade e probabilidade média em engravidar:

Aos 25 anos a mulher tem entre 20% a 30% probabilidade mensal de engravidar face à sua fertilidade.

Entre os 25 anos e os 35 anos a mulher tem a maior janela de oportunidade face à sua probabilidade mensal de engravidar.

A partir dos 40 anos a mulher tem apenas 5% probabilidade mensal de engravidar face à sua fertilidade, o que representa que em média poderá levar quase 2 anos a conceber uma gravidez, por isso as mulheres não devem esperar muito mais do que os seus 37 anos de idade se desejarem terem filhos.

A partir dos 45 anos aos 51 anos de idade, as mulheres deverão recorrer à doação de ovócitos ou de embriões, sendo que esta prática é cada vez mais recorrente e evidência a sua taxa de sucesso.

Endometriose
:. É uma doença crónica e frequente entre as mulheres em idade fértil e consoante o grau de Endometriose que lhe é diagnosticado, influencia directamente na possibilidade de conseguir uma gravidez, e nos casos mais complexos tendem a recorrer à cirurgia e tratamentos medicamente assistidos.

Sabe-se que uma em cada duas mulheres que têm Endometriose, possuem dificuldade em engravidar. A Endometriose apresenta-se pela presença de tecido uterino semelhante ao do endométrio mas fora da cavidade uterina.

Factor tuboperitoneal:. Quando as trompas de Falópio possuem alguma lesão ou se encontram condicionadas por alguma obstrução.

Anomalias uterinas ou cervicais: Anomalias em termos de estrutura e morfologia anatómica.

Anovulação: Quando o óvulo não chega a ser expelido pelo ovário, quer seja por não se ter formado ou por não ter alcançado a sua maturidade. Algumas vezes encontram-se ovários poliquísticos.

Causa Mista (20%): Infertilidade originada por problemas do Homem e da Mulher;

Causa Desconhecida: Quando a origem da infertilidade não é identificável embora muitas vezes esta possa estar associada:

Ao adiamento da idade em que é desejada a gravidez;
Patologia dependente de algumas DST;
Prática mais generalizada do aborto e/ou utilização desregrada de métodos contraceptivos;
Exposição excessiva a factores tóxicos e ambientais com efeitos nocivos na reprodução;

Causa de Origem Psicológica: Apesar da evolução da técnica ginecológica a queixa de infertilidade está a aumentar por parte dos casais que desejam ser pais e não conseguem, mesmo quando não existe uma causa orgânica e/ou quando estas causas estão numa origem psicossomática, deve-se diagnosticar como Infertilidade Psicológica encaminhando o casal para o acompanhamento e seguimento clínico através de um programa especializado de intervenção psicológica em Infertilidade.

No entanto preferimos falar sempre de causas ou dos motivos do casal, porque seja estes quais forem, a colaboração de ambos é fundamental, para levar a bom termo este projecto de vida a dois.

No caso do Homem para diagnosticar a causa de Infertilidade Masculina é feita uma análise através da qual se testa a quantidade e a qualidade dos espermatozoides (espermograma) que indica o número, actividade, formação e estrutura dos espermatozoides.

Um resultado dentro dos parâmetros normais seria uma contagem superior a 20 milhões por mililitro, com pelo menos 50% de espermatozoides com um movimento correcto e com cerca de 30% de formação normal.

Em regra, a função reprodutiva masculina exige uma função sexual (erecção e ejaculação) e uma função espermática (espermatozoides) normal.

No caso da Infertilidade Masculina as principais alterações devem-se:

Alterações do tracto genital: Impossibilidade de depositar o esperma no fundo da vagina durante o coito (impotência eréctil, ausência de ejaculação).
Alterações na produção de esperma: Diminuição da quantidade e/ou qualidade de espermatozoides.
Patologia da Próstata: A próstata assemelha-se ao tamanho de uma noz revestida por uma cápsula, é uma glândula responsável pelo funcionamento do aparelho genital masculino localizada à frente do recto e logo abaixo da bexiga.

As mais frequentes patologias da próstata estão associadas à Prostatite, a Hipertrofia Benigna da Próstata (HBP) e o Cancro da Próstata, sendo que a incidência destas duas últimas doenças tem sido maior nas últimas décadas.